Logo IFM
INSTITUTO FLUMIGNANO DE MEDICINA
www.medicina.flumignano.com 
www.vacinas.flumignano.com

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO
- Mais imunizações, mais seguras, menos injeções -
- Vacinações individuais e coletivas  -

As vacinas salvam milhões de vidas em todo o mundo e constitui um inportante instrumento da medicina para a prevenção das doenças infecciosas. A vacinação nas instituições particulares são mais amplas,  variadas, modernas, seguras e confortáveis.  O governo brasileiro oferece um bom calendário vacinal gratuito nos Postos de Saúde, porém ainda não contempla as vacinas mais modernas e as de custo de mais elevado. 

Vai viajar e quer saber quais as vacinas que precisa tomar?  Clique aquí e depois volte !

* A V I S O : As informações apresentadas servem para instrução geral da população e não dispensa a consulta médica para que as indicações das imunizações sejam adequadas e seguras. 

Ao nascer  
Vacina BCG  (contra tuberculose) (dose 1/2)
Vacina Hepatite B - (dose 01/03).

Vacina BCG -  Trata-se da Vacina da Tubrculose, sua aplicação é intradérmica do bacilo de Koch atenuado, cuja primeira dose é aplicada logo após ao nascimento, no próprio hospital. Se isto não for feito, deverá ser aplicada até aos 30 dias após o nascimento. Se no local da primeira aplicação desta vacina não ocorrer a formação de pústula seguida de crosta cicatricial não significa que não tenha ocorrido a imunização, sendo que a reaplicação fica a critério médico, no prazo de 6 meses do nascimento. Se após a segunda aplicação desta vacina não ocorrer a reação pustular não há necessidade de insistir com outras doses e a inunização é considerada eficaz. A dose de reforço deve ser aplicada entre 6 a 10 anos ou em  qualquer idade. É relevante que a dose de reforço seja sempre efetivada nos locais endêmicos ou com infecções presentes em familiares próximos. A vacina de tuberculose não deve ser aplicada em imunodeprimidos. 

Vacina da Hepatite B - trata-se de uma infecção viral no fígado que pode evoluir espontaneamente para a cura ou cronificar. A transmissão é pelo contato sanguineo. A imunização se faz com 3 doses intramusculares para conferir imunidade por longo prazo. Esta imunização poderá ser feita a qualquer momento da vida, incluindo adolescentes e adultos que não foram imunizados na infância. É possível saber a se há presença da imunidade para a hepatite B  através da dosagem sanguinea do ANTI-HBs. Parturientes com hepatite  B visto através do exame HBsAg positivo deverá tratar o bebê, além da vacina da hepatite B, também com a imunoglobulina humana anti-hepatite B nas primeiras 12/24 horas pós parto com a finalidade de prevenir a transmissão viral para o nascituro.
2º mês 
Vacina da Póliomielite. (dose 1/3)

Vacina da Difteria(dose 1/3)

Vacina da Coqueluxe. (dose 1/3)

Vacina do Haemophilus.  (dose 1/3)

Vacina do Tétano. (dose 1/3)

Vacina da Hepatite B .  (dose 2/3). 

Vacina Pnumocócica 13 Valente . (dose 1/3)

Vacina do Rotavirus Pentavalente.  (dose 1/3)

......................
Obs: A Vacina Combinada Hexavalente, numa só aplicação, imuniza para pólio, difteria, coqueluxe, haemophilus, tétano, hepatite B )
...................

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas de Difteria, Tétano e Coqueluche/Pertussis.


Vacina da Poliomielite - as duas doses iniciais desta vacina deve ser com o virus acelular sendo as subsequentes a critério médico, preferindo-se sempre as do tipo acelular pois ocasionam menor efeitos colaterais. As campanhas nacionais de vacinação da poliomielite usam as vacinas atenuadas, portanto, com células inteiras, para as crianças menores de 5 anos. As crianças que estão com o esquema de vacinação completo estão dispensadas desta campanha. A poliomielite foi extinta no Brasil e na maior parte do mundo e as campanhas nacionais são para evitar um retorno desta doença.  A Vacina da Poliomielite na forma acelular está também contida nas Vacinas Hexavalente e também nas Vacinas Pentavalentes.

Vacina do Rotavirus Pentavalente -  previne a diarréia viral por este vírus, cobrindo suas 5 cepas mais frequentes. O esquema vacinal é de 3 doses, sendo o intervalo mínimo entre as doses é de 4 semana, seguindo a faixa etária, a primeira dose administrada até 3 meses e 15 dias de vida e a terceira dose até no máximo 7 meses e 29 dias.  Existe a Vacina do Rotavirus Monovalente, porém está em desuso. 

Vacina Vacina Pneumocócica 13 Valente  confere resposta imunológica contra 13 sepas mais relevantes do pneumococo, que frequentemente causam otites, sinusites e pneumonias em adultos e crianças. Na rede pública (2015) encontra-se disponível somente a 10 valente. A dose de reforço é recomendada entre 12 e 15 meses de idade. Especialmente importante para crianças e adultos que tenham doenças ou alergias respiratórias ou qualquer outra doença crônica.

Vacina do Tétano, importante para as crianças e adultos. O esquema vacinal inicia-se na infância, porém pode ser realizado em qualquer idade. O esquema inicial é com 3 doses e reforços a cada 10 anos por toda a vida. Nos adultos os riscos maiores envolvem pessoas com lesões crônicas nos pés e traumas infectados em qualquer lugar do corpo.  Relevante para os trabalhadores com risco elevado para lesões ocupacionais.  

Vacina Tríplice Bacteriana contém as Vacinas da Difteria, do Tétano e da Coqueluche,  sendo esta última também conhecida como Pertussis.  Outro nome desta associação é Vacina DTP, que corresponde suas letras iniciais. Existe a vacina do tipo DTPw - que contém células inteiras e a DTPa - que é acelular. A do tipo acelular ocasiona menor reatogenicidade. Esta vacina, depois do esquema inicial de 3 doses na infância, deve ser aplicado dose de reforço a cada 10 anos.  Este conjunto de vacinas que contém a Vacina Tríplice Viral está contida nas Vacina Combinada Hexavalente e também na Vacina Combinada Pentavalente. 

3º mês Vacina Meningocócica C - (dose 1/4).
Vacina  Meningocócica C conjugada é importante para todas as crianças e   está disponível na rede pública até 2 anos de idade, sendo recomendado duas doses da vacina no primeiro ano de vida e doses de reforço entre 12 a 15 meses de idade e entre 5 a 6 anos. Portanto, se o este esquema vacinal for iniciado no primeiro ano de vida, se completará com 4 doses.  Porém, se a criança ou adulto iniciar o esquema vacinal após 2 anos de idade, a  Vacina Menigocócica A + C , que além da cepa C também contém a cepa A e está  disponível nas clínicas privadas de vacinação, poderá ser aplicada em dose única e doses e reforços, se necessário, a cada 5 anos.  A Vacina Meningococo B + C quase não é usada pois a cepa B é rara no Brasil. Após 11 anos de idade, a Vacina Meningocócica ACWY conjugada tem a vantagem de ser aplicada em dose única. As vacinas meningocócicias, fora da imunização básica infantil, se fazem necessárias somente na presença de surtos endêmicos ou epidêmicos de meningites.
4º mês
Vacina da Difteria(dose 2/3)

Vacina do Tétano.  (dose 2/3)

Vacina da Coqueluche ou Pertussis.  (dose 2/3) 

Vacina do Haemophilos influenza do tipo b. (dose 2/3)

Vacina da Poliomielite. (dose 2/3)

Vacina do Rotavirus Pentavalente.  (dose 2/3)

Vacina Pneumocócica Conjugada. (dose 2/3)

........................

Vacina Combinada Hexavalente, numa só aplicação, imuniza para pólio, difteria, coqueluxe, haemophilus, tétano, hepatite B )

...................

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas de Difteria, Tétano e Coqueluche/Pertussis.

Vacina Tríplice Bacteriana contém as Vacinas da Difteria, do Tétano e da Coqueluche,  sendo esta última também conhecida como Pertussis.  Outro nome desta associação é Vacina DTP, que corresponde suas letras iniciais. Existe a vacina do tipo DTPw - que contém células inteiras e a DTPa - que é acelular. A do tipo acelular ocasiona menor reatogenicidade. Esta vacina, depois do esquema inicial de 3 doses na infância, deve ser aplicado dose de reforço a cada 10 anos.  Este conjunto de vacinas que contém a Vacina Tríplice Viral está contida nas Vacina Combinada Hexavalente e também na Vacina Combinada Pentavalente. 

Vacina do Rotavirus Pentavalente -  previne a diarréia viral por este vírus, cobrindo suas 5 cepas mais frequentes. O esquema vacinal é de 3 doses, sendo o intervalo mínimo entre as doses é de 4 semana, seguindo a faixa etária, a primeira dose administrada até 3 meses e 15 dias de vida e a terceira dose até no máximo 7 meses e 29 dias.  Existe a Vacina do Rotavirus Monovalente, porém está em desuso. 

Vacina Vacina Pneumocócica 13 Valente  confere resposta imunológica contra 13 sepas mais relevantes do pneumococo, que frequentemente causam otites, sinusites e pneumonias em adultos e crianças. Na rede pública (2015) encontra-se disponível somente a 10 valente. A dose de reforço é recomendada entre 12 e 15 meses de idade. Especialmente importante para crianças e adultos que tenham doenças ou alergias respiratórias ou qualquer outra doença crônica.
5º mês 

Vacina Meningocócica C   (dose 2/4) 




6º mês 
Vacina da Hepatite B. ( dose 3/3)

Vacina da Difteria.  (dose 3/3)

Vacina do Tétano.   (dose 3/3)

Vacina da Coqueluche ou Pertussis. (dose 3/3)

Vacina do Haemophilus influenza tipo b.  (dose 3/3)

Vacina da Poliomielite.  (dose 3/3)

Vacina do Rotavirus Pentavalente.
 (dose 3/3)

Vacina Pnumocócica 13 Valente.  (dose 3/3)

Vacina da Gripe.  (dose 1/2)

.........................
Vacina Combinada Hexavalente, numa só aplicação, imuniza para pólio, difteria, coqueluxe, haemophilus, tétano, hepatite B )

...................

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas de Difteria, Tétano e Coqueluche/Pertussis.

Vacina Tríplice Bacteriana contém as Vacinas da Difteria, do Tétano e da Coqueluche,  sendo esta última também conhecida como Pertussis.  Outro nome desta associação é Vacina DTP, que corresponde suas letras iniciais. Existe a vacina do tipo DTPw - que contém células inteiras e a DTPa - que é acelular. A do tipo acelular ocasiona menor reatogenicidade. Esta vacina, depois do esquema inicial de 3 doses na infância, deve ser aplicado dose de reforço a cada 10 anos.  Este conjunto de vacinas que contém a Vacina Tríplice Viral está contida nas Vacina Combinada Hexavalente e também na Vacina Combinada Pentavalente. 


Vacina da Gripe - a primovacinação de criança com menos de 9 anos deve ser feita em duas doses infantis (meia dose) com um mês de intervalo, sendo que nos anos seguintes pode ser em dose única inteira anual. Para as crianças em primovacinação com mais de 9 anos podem receber esta vacina da mesma maneira que os adultos. As cepas virais são colhidas anualmente em todo o mundo e divididas em hemisférios globais. As cepas brasileiras são as do hemisfério sul e não são as mesmas do hemisfério norte. 
 
7º mês
Vacina da Gripe.  (dose 2/2)

A partir dos 9 meses Vacina da Febre Amarela.  
(exclusivo para as crianças que moram em regiões endêmicas ou que para lá viajam.)

Vacina para Febre Amarela
- Indicada para habitantes de áreas endêmicas e pessoas que para lá vão viajar. É relevante ter o certificado de vacinação especialmente desta vacina pois poderá ser exigido pelas autoridades territoriais. É contra-indicada para imunodeprimidos e gestantes, exceto quando os riscos de adquirir doença superam os riscos da vacinação. Vacinar pelo menos 10 dias antes da viagem. Dose de reforço a cada 10 anos. Não deve ser administrada no mesmo dia que a Vacina Tríplice Viral  ou as Hexavalentes ou Pentavalentes devido o risco de interferência e diminuição de imunogenicidade, sendo recomendável intervalo de 30 dias entre elas.
12º mês  Vacina do Sarampo.  (dose 1/3)

Vacina da Caxumba.  (dose 1/3)

Vacina da Rubéola.  (dose 1/3)

Vacina da Varicela ou Catapora.  (dose única se aplicada até 12 meses)

Vacina Pneumocócica 13 Valente.  (dose de reforço)

Vacina  Meningocócica C  (dose 3/4)

Vacina da Hepatite A.  (dose 1/2)

.....................................

Vacina Triplice Viral também conhecida como Vacina MMR, é a combinação das vacinas de sarampo, caxumba e rubéola). 


Vacina da Poliomielite - as duas doses iniciais desta vacina deve ser com o virus acelular sendo as subsequentes a critério médico, preferindo-se sempre as do tipo acelular pois ocasionam menor efeitos colaterais. As campanhas nacionais de vacinação da poliomielite usam as vacinas atenuadas, portanto, com células inteiras, para as crianças menores de 5 anos. As crianças que estão com o esquema de vacinação completo estão dispensadas desta campanha. A poliomielite foi extinta no Brasil e na maior parte do mundo e as campanhas nacionais são para evitar um retorno desta doença.  A Vacina da Poliomielite na forma acelular está também contida nas Vacinas Hexavalente e também nas Vacinas Pentavalentes.

Vacina da Varicela ou Catapora, também conhecida internacinalmente com o nome de Varivax (MSD)  - poderá ser aplicada em dose única se for até aos 12 meses de vida. Depois disto a imunização deverá ser realizada em 2 doses desta vacina com intervalo de 6 a 10 semanas. Se a pessoa nunca foi imunizada contra a varicela ou catapora esta vacina poderá ser usada par prevenção até 5 dias depois do contato com pessoa doente, preferencialmente nas primeiras 72 horas.   Indicada também para adultos não tiveram a varicela e contra indicada para imunodeprimidos e gestantes, pois o vírus vacinal é do tipo atenuado. Para os adultos é preferível fazer a imunização com a Vacina do Herpes Zoster pois trata-se da imunização com o mesmo agente viral da varicela com a diferença que com a carga viral é mais elevada e assim confere proteção também contra a nevralgia herpética.

15º mês

Vacina da Difteria.  (dose reforço)

Vacina do Tétano.   (dose reforço)

Vacina da Coqueluche ou Pertussis.  (dose reforço) 

Vacina do Haemiphilus. (dose reforço)

Vacina da Poliomielite (dose reforço)

Vacina do Sarampo.  (dose 2/3) 

Vacina da Cachumba.  (dose 2/3)

Vacina da Rubéola.   (dose 2/3)

Vacina da Varicela. (dose 1/2) (somente se a primeira dose foi depois de 12 meses de idade) 

......................

Vacina Combinada Pentavalente, contém as vacinas da difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influebzae tipo b, Poliomielite.

..........................

Vacina Triplice Viral também conhecida como Vacina MMR, é a combinação das vacinas de sarampo, caxumba e rubéola). 


Vacina da Varicela ou Catapora - a 2ª dose desta vacina está recomendada somente se a primeira dose foi aplicada após 12 meses de vida, com o intervalo de 6 a 10 semanas depois da primeira dose. Se a pessoa nunca foi imunizada contra a varicela ou catapora esta vacina poderá ser usada par prevenção até 5 dias depois do contato com pessoa doente, preferencialmente nas primeiras 72 horas.


18º mês

Vacina Hepatite A (dose 2/2) 

4 a 6 anos
Vacina da Difteria.  (dose de reforço)

Vacina do Tétano.  (dose de reforço)

Vacina da Coqueluche ou Pertussis.  (dose de reforço)

Vacina da Poliomielite. (reforço)

Vacina  Meningocócica C.  (04/04)

................................

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas da difteria, tétano e coqueluche/Pertussis.


    
A partir de 9 anos Vacina do HPV.  (veja esquema de aplicação ao lado)

Vacina da Hepatite A e/ou B.  (veja esquema de aplicação ao lado) 

Vacina HPV
- Destinada inicialmente para as mulheres atualmente também para homens, sendo que o melhor momento desta imunização é antes do início da vida sexual. O esquema vacinal é três doses, sendo a segunda dose dois meses depois da primera e a última 5 meses depois da segunda. O esquema vacinal do governo brasileiro é diferente deste com a finalidade de reduzir os custos. A idade formal para uso desta vacina é entre 9 anos e 26 anos, mas poderá ser aplicada fora desta faixa etária a critério médico. Esta vacina não  poderá não ser útil se a pessoa já estiver infectada pelo virus do HPV. Estima-se que cerca de 80% das mulheres e 50% dos homens sexualmente ativos já estejam contaminados, motivo da relevância desta vacinação. Na mulher o vírus do HPV é o mais importante fator de risco para o frequente câncer de colo de útero e no homem está relacionado ao raro câncer na glande. A transmissão desde virus exige contato físico. Existem atualmente, em 2015, dois tipos desta vacina, a bivalente e a tetravalente, sendo que a escolha caberá ao médico pela análise do perfil da (o) paciente. Ainda não está disponível nos laboratórios as dosagens dos anticorpos séricos do HPV para se analisar a imunidade prévia porém há a possibilidade da biópsia ou do escovado da lesão verrucosa, cuja presença no fundo do colo do útero, na glande ou anus já são indicadores desta contaminação.

Vacina da Hepatite - Adolescentes que não receberam a vacina contra a Hepatite A ou B na infância devem ser vacinados em qualquer época. O uso da Vacina Combinada Hepatite A + B, tem a vantagem da dupla imunização, porém é possivel vacinar cada uma delas em separado. É possível avaliar estas necessidades vacinais através das dosagens de seus anticorpos séricos, tanto para a hepatite A quanto para a hepatite B. Para a Vacina da Hepatite B - importante ressaltar que para os imunodeprimidos e renais crônicos esta vacina deve ser feita em quatro aplicações, não em três, com intervalo de um mês entre a primeira, a segunda e terceira dose e a quarta dose seis meses após a terceira, pois nestas doenças há menor resposta imunológica desta doença.

Adultos e idosos

Vacina hepatite A e/ou B - (dose de reforço ou para aqueles que nunca se vacinaram).  

Vacina da Difteria.   (dose de reforço ou para aqueles que nunca se vacinaram).  

Vacina de Tétano.   (dose de reforço ou para aqueles que nunca se vacinaram).  

Vacina da Coqueluche. (dose de reforço ou para aqueles que nunca se vacinaram).  

Vacina Pneumocóccica 23 valente.  (reforço a cada 5 anos)

Vacina  Pneumocóccica 13 valente.  (dose única apenas uma vez na vida.)

Vacina da Gripe.  (campanha anual)

Vacina Febre Amarela. (somente para viajantes e moradores de áreas endêmicas)

Vacina do Herpes Zoster(prevenção e redução das neuralgias por zoster)

Vacina Sarampo. (para os que não nunca foram vacinados).

Vacina Caxumba. (para os que não nunca foram vacinados).

Vacina Rubéola. (para os que não nunca foram vacinados).

..........................................

Vacina Dupla contém a combinação das Vacinas de Difteria e de Tétano. 

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas de Difteria, Tétano e Coqueluche/Pertussis.

Vacina Tríplice Viral, possui a combinação das vacinas de sarampo, caxumba e rubéola.

Vacina Hepatite A ou B ou A+B, para adultos que não foram vacinados pois quando eram crianças esta vacina não estava disponível e adultos podem ser vacinados em qualquer época.  Vacina da Hepatite B - protege contra a hepatite viral do tipo B que pode evoluir espontaneamente para a cura ou cronificar. A transmissão é pelo contato sanguineo. A imunização se faz com 3 doses intramusculares para conferir imunidade por longo prazo. Esta imunização poderá ser feita a qualquer momento da vida, incluindo adolescentes e adultos que não foram imunizados na infância. É possível saber a se há presença da imunidade para a hepatite B  através da dosagem sanguinea do ANTI-HBs. Parturientes com hepatite  B visto através do exame HBsAg positivo deverá tratar o bebê, além da vacina da hepatite B, também com a imunoglobulina humana anti-hepatite B nas primeiras 12/24 horas pós parto com a finalidade de prevenir a transmissão viral para o nascituro. O uso da Vacina Combinada Hepatite A + B, tem a vantagem da dupla imunização, porém é possivel vacinar cada uma delas em separado. Para a Vacina da Hepatite B - importante ressaltar que para os imunodeprimidos e renais crônicos esta vacina deve ser feita em quatro aplicações, não em três, com intervalo de um mês entre a primeira, a segunda e terceira dose e a quarta dose seis meses após a terceira, pois nestas doenças há menor resposta imunológica desta doença, sendo que a dosagem sorológica do Anti-HBs - que detecta a presença dos anticorpos - deve ser anual e dose de reforço da Vacina da Hepatite B deverá ser aplicada se necessário. Grávidas podem ser imunizadas com a Vacina da Hepatite B em qualquer fase na gestação e para a Vacina da Hepatite A em situação de risco aumentado a critério médico.

Vacina do Tétano
, importante para as crianças e adultos. O esquema vacinal inicia-se na infância, porém pode ser realizado em qualquer idade. O esquema inicial é com 3 doses e reforços a cada 10 anos por toda a vida. Nos adultos os riscos maiores envolvem pessoas com lesões crônicas nos pés e traumas infectados em qualquer lugar do corpo.  Relevante para os trabalhadores com risco elevado para lesões ocupacionais.  

Vacina Pneumococo 23 cepas pode ser aplicada a partir dos 2 anos de idade para a prevenção das principais infecções causadas frequentemente pelos pneumococos, a saber, otites, faringites, pneumonias e até meningites.  Especialmente relevante para as crianças e adultos com doenças de repetição  das vias aéreas superiores. É recomendável dose de reforço a cada 5 anos. Está disponível nas clínicas privadas, não tem nos Postos de Saúde do governo porém está disponível gratuitamente nos Centros de Referências Vacinais das principais cidades (CRIE - Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais) para pessoas com doenças cardiovasculares, pulmonares, hepáticas, diabéticos, neuropatas, esplenectomizados, HIV positivos, leucemia, linfomas, mieloma múltiplo, cânceres, insuficiência renal, transplantados e em uso de quimioterápicos imunosupressores. 

Vacina Pneumocócica 13 Valente Conjugada , conhecida internacionalmente como Prevenar (Wyeth) confere resposta imunológica contra 13 sepas mais relevantes do pneumococo, que frequentemente causam otites, sinusites e pneumonias em adultos e crianças. Na rede pública (2015) encontra-se disponível somente a 10 valente. A dose de reforço é recomendada entre 12 e 15 meses de idade. Especialmente importante para crianças e adultos que tenham doenças ou alergias respiratórias ou qualquer outra doença crônica.

Vacina Pneumocócica 13 Valente Conjugada + Vacina Pneumocócica 25 Valente - como o próprio nome diz, estas vacinas assemelhadas imunizam sepas diferentes do pneumococo, porém a Vacina Pneumocócica 13 Valente, por serem  conjugadas, oferecem proteção duradoura com apenas uma aplicação na vida, enquanto a Vacina Pneumocócica 25 Valente exige doses de reforço a cada 5 anos. Para os pacientes com maiores riscos para doenças pneumocócicas (pneumonias, sinusites e otites), a saber aqueles que que apresentam doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, infarto do miocário ou AVC - acidente vascular cerebral, doenças pulmonares e alergias respiratórias é altamente recomendável que a imunização seja realizada com os dois tipos vacinais citados, sendo que a prioridade é para a Vacina Pnumocócicica 13 Valente e depois de 3 meses, fazer uso da Vacina Pneumocócica 25 Valente.

Vacina Tríplice Viral  - está imunizado o indivíduo adulto, homem ou mulher, que tenha recebido, em algum momento da vida, duas doses desta vacina acima de um ano de vida e com intervalo de no mínimo um mês entre elas. Em caso de antecedentes vacinais desconhecidos fazer o esquema de imunização completo, com duas aplicações intervaladas por 30 dias. Deve ser aplicado dose única de reforço nas mulheres que planejam gestação. Não pode ser aplicada na gestação. Pode ser aplicada na puérpera. Não é vacinação de rotina no idoso porém deve ser aplicado nos casos de surtos e viagens para lugares que tenham estas doenças endêmicas. 

Mulheres que querem engravidar
Vacina da Difteria.

Vacina do Tétano.

Vacina da Caxumba.

Vacina da Rubéola.

Vacina do Sarampo.

Vacina Hepatite A + B

Vacina da Gripe
 
Vacina de Catapora ou da varicela.

Vacina do Herpes Zoster.
........................

Vacina Dupla contém a combinação das Vacinas da difteria e do tétano. 

Vacina Triplice Viral também conhecida como Vacina MMR, é a combinação das vacinas de sarampo, caxumba e rubéola).



O calendário de vacinação deve estar em dia antes do início da gestação. pois protege a mãe e o bebê das complicações correlatas.  

Se a futura gestante cumpriu o calendário de vacinação completo então bastam as doses de reforço de cada uma delas.

Caso não tenha feito as doses precedentes destas vacinas ou não sabe se foi imunizada, então a futura gestante deve fazer os esquemas completos de cada uma das vacinas. 

Especialmente relevante para as mulheres que trabalham em lugares insalubres, escolas infantis, ambientes médicos ou odontológicos ou de atendimento ao público em geral pois são mais expostas aos contatos virais.

A Vacina Tríplice Viral também conhecida como  MMR deverá ser repetida mesmo que já tenha sido aplicada na infância.

Através dos exames de rotina pré-natal é possivel fazer uma listagem parcial dos principais anticorpos destas doenças para se estabelecer as prioridades vacinais.

Gestantes
Vacina da Hepatite B.

Vacina da Difteria.

Vacina de Tétano.

Vacina da Coqueluche. (somente após a 20º semana gestacional)

Vacina da Gripe. (Campanhas Nacionais)

............

Vacina Triplice Bacteriana, também conhecida como Vacina DTP, possui a combinação das vacinas da difteria, tétano e coqueluche/pertussis.

Gestantes - a escolha das vacinas na gestação se faz pelo critério médico de acordo com os fatores de risco.

As Vacina da Febre Amarela, a Vacina da Meningite Meningocócica ACWY e a Vacina da Hepatite A somente podem seu usadas a critério médico.

Estão contraindicadas a Vacina do HPV, a Vacina do Sarampo, a Vacina da Caxumba, a Vacina da Rubéola e a Vacina de Varicela ou Catapora. Portanto está contraindicada a Vacina Tríplice Viral

OBSERVAÇÕES GERAIS:
01) Quando os antecedentes vacinais são desconhecidos a rotina é fazer a imunização em esquema completo.
02) Vacina Tríplice Viral também conhecida como MMR = sarampo, caxumba e rubéola.
03) Vacina Tríplice Bacteriana também conhecida como Vacina DTP = difteria, tétano e coqueluche, este último também chamado de pertussis.
04) Vacina Dupla = difteria e tétano.
05) Vacina Pentavalentedifteria, tétano, haemophilus influenzae tipo b, poliomielite acelular, coqueluche/pertussis.
06) Vacina Hexavalente =  difteria, tétano, haemophilus influenzae tipo b, poliomielite acelular, coqueluxe/pertussis, hepatite B.
07) As vacinas atenuadas são contraindicadas para inumodeprimidos, nestes casos deve-se usar as vacinas acelulares, sempre com supervisão dos especialistas.
08) As datas dos esquemas vacinais devem ser respeitadas com rigor pois há riscos da imunidade não se estabelecer adequadamente.
09) Dosagens dos anticorpos servem para avaliar a necessidade ou não de vacinar, porém na indisponibilidade deste método a boa prática médica é optar pela vacinação. 


Dr. Izidoro de H. Flumignan, crm 52.45054-3 -Especialista em Medicina Preventiva e Social pela UFRJ  e titulado pela AMB - Associação Médica Brasileira  Estas informações foram subsidiadas da literatura médica publicadas em revistas indexadas, das recomendações da SBIM, das recomendações das sociedades internacionais, das recomendações dos fabricantes e da experiência do autor, revisadas em 2015.  


PERGUNTE SOBRE

VACINAS 

Escreva seu nome inteiro
 e telefones para contato.

Seu e-mail para resposta

Temos a satisfação de responder a sua pergunta. 

Obrigado e aguarde a resposta.
Apreciamos sua participação!

 


 

Ilustração da família gotinha


- Vacina hexavalente -
- Vacina do BCG -
- Vacina da hepatite -
- Vacina da gripe - 
- Vacina da pneumonia - 
- Vacina da meningite -


www.medicina.flumignano.com 
www.vacinas.flumignano.com

INSTITUTO FLUMIGNANO DE MEDICINA
Av. Nossa Senhora de Copacabana 664/704 - Galeria Menescal - cep 22050-001
Rio de Janeiro - RJ - Telefones : +55 (21) 2549-1155 e +55(21)2548-0472

 PÁGINA INICIALAGENDAMENTO ON WEB | EQUIPE MÉDICA | NÚCLEOS DE ATENDIMENTOSEDUCAÇÃO EM SAÚDE FLASH  |  BIBLIOTECA VIRTUAL