www.medicina.flumignano.com
INSTITUTO FLUMIGNANO DE MEDICINA

Logo IFM


" Mais que profissão, a medicina para nós é missão."

Linha azul

OS FUNDAMENTOS DA DIETA DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA - IRC

A insuficiência renal crônica – IRC é uma condição em que os rins gradualmente adoecem e, portanto não conseguem filtrar eficazmente as toxinas do sangue para serem excretadas pela urina. Isto acarreta acumulo excessivo, entre outros, da URÉIA e da CREATININA no sangue, chamado genericamente de UREMIA.   Portanto, o objetivo do tratamento é regular a dieta para reduzir a produção da UREMIA e simultaneamente proteger a função renal das causas que o prejudicaram - as mais comuns são o mal controle da hipertensão arterial, do diabetes mellitus e o uso prolongado de anti-inflamatórios não esteroides. As ênfases dietéticas estão na redução da ingesta das proteínas de fontes animais e na regulação dos minerais sanguíneos, principalmente do potássio, sódio e cálcio e também da vitamina D, conhecida como vitamina do sol. O rigor da dieta do IRC deve ser proporcional à severidade da doença renal, portanto, necessita de ajustes personalizados e periódicos. 

PROTEÍNAS: as carnes em geral produzem muita creatinina e ácido úrico. Veja a dieta do ácido úrico. Portanto, devem ser consumidas em pequenas quantidades, apenas uma vez ao dia, reduzindo as provenientes dos bovinos, suínos, aves, peixes e miúdos. Também se deve reduzir o leite, queijos e ovos. As melhores fontes proteicas são as provenientes dos feijões, principalmente os da soja.   

POTÁSSIO: Os rins deficientes tem dificuldade de excreta-los. Tanto o excesso quanto a diminuição do potássio podem favorecer as arritmias cardíacas. Abaixo estão orientações simples e importantes para prevenir a hiperpotassemia, que no caso, é o mineral mais importante para o manejo da IRC:

- Alimentos que podem ser consumidas com moderação:  Melancia, caqui, ameixa, morango, caju, pera, manga, pêssego, ameixa, abacaxi, acerola, maçã, limão, aspargo, inhame, chuchu, pepino, alface, quiabo, pimentão, bertalha, couve-flor, abóbora d´água, agrião, jiló, repolho, vagem e abobrinha.

- Alimentos que devem ser evitados são: Laranjas, bananas, lima da pérsia, figo, água de coco, melão, fruta do conde, jaca, goiaba, maracujá, uva, mamão, tangerina, abacate, kiwi, couve, tomate, berinjela, beterraba, acelga batata, brócolis, batata-baroa, chicória, almeirão, chocolate em pó, amendoins, amêndoas, avelã, chá preto, frutas secas, coco, mate, nozes, caldo de cana, massa de tomate, pão integral, castanhas, gergelim, rapadura, bacalhau e açúcar mascavo.

- Alimentos que são proibidos: Café solúvel, suco concentrado de frutas, todos refrigerantes, a água de coco e chás e prefira sempre a água pura na quantidade certa para seu metabolismo. Não use o “sal diet”, “sal light” e “slim sal”, pois contêm aumento do potássio. Nunca coma a carambola, pois é tóxica, principalmente para aqueles que estão em tratamento dialítico.

MODO DE PREPARAR OS ALIMENTOS:

O relevante é deixar de molho em água fria e/ou quente ajuda a reduzir os teores de potássio dos alimentos e depois desprezar esta água. Faça isto com as batatas de qualquer tipo, aipim, inhame, cará, abóbora, beterraba e cenoura, que devem ser descascados, cortados no modo de consumi-los e deixados de molho por 2 horas, devendo-se trocar a água por duas vezes. Feijão, lentilha, grão de bico, soja e ervilha, antes de serem cozidos devem ser colocados de molho por 24 (vinte e quatro) horas, sendo sua água trocada por duas vezes. Após isto, colocar estes alimentos em uma panela com bastante água e levar ao fogo, trocando a água do cozimento uma vez. Depois, escorrer a água e prepará-los como desejar. As frutas, quando possível, também devem ser fervidas para reduzir seus teores de potássio. Preparar as verduras e legumes em vapores não serve para reduzir os teores de potássio.

SAL: O sal de cozinha é composto de cloreto de sódio, cujo excesso produz retenção de água no organismo, favorecendo os edemas e aumento da pressão arterial. Portanto, pode ser consumido na faixa de 2g a 5g por dia, isto já considerado o sal presente em todos os alimentos do dia, inclusive naqueles que já vem da fábrica. O sal não pode ser totalmente excluído da dieta, pois sua redução excessiva acarreta pressão arterial baixa que se apresenta como sonolência, fraqueza e confusão mental. Evite os alimentos embutidos – salsichas, salames, mortadelas, paios, presuntos etc. – assim como enlatados, temperos prontos e defumados, pois são riquíssimos em sal.

AÇÚCAR: é a melhor fonte de energia para o doente renal. Porém para os diabéticos e obesos há necessidades de restrições no limite da gravidade destas doenças. Os adoçantes sucralose, aspartame, ciclamato e sacarinas podem ser usados com liberalidade. Para quem sofre de IRC o sobrepeso é melhor do que o peso normal.

ALIMENTOS NUTRICIONAIS INDUSTRIALIZADOS – A indústria de alimentos especiais elaboraram nutrientes balanceados específicos para os doentes renais, porém só use se forem prescritos pelo nutricionista ou médico.


O texto deste artigo é de responsabilidade exclusiva dos autores e não tem conflito de interesse ou vínculo comercial .
Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan – Médico – CRM 5245054-3 – izidoro@flumignano.com  - Dra. Monique Oliveira Pinto – Nutricionista - CRN 991000269 - moniqueoliveirapinto@gmail.com 
 

COMENTE E PERGUNTE
 SOBRE ESTE ASSUNTO

Escreva seu nome inteiro
 e telefones para contato.

Seu e-mail para resposta

PERGUNTE E CITE O ASSUNTO:

Obrigado e aguarde a resposta.
Apreciamos sua participação em nosso site.

 

Foto Dr. Izidoro

Outros artigos do Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan:

Logo Facebook

INSTITUTO FLUMIGNANO DE MEDICINA
Av. N.S.de Copacabana 664/704 - Galeria Menescal -  cep 22050-001
Rio de Janeiro - RJ - Telefones : +55 (21) 2549-1155 e +55 (21) 2548-0472
 

PÁGINA INICIALAGENDAMENTO ON WEB | EQUIPE MÉDICA | NÚCLEOS DE ATENDIMENTOS | EDUCAÇÃO EM SAÚDE FLASH
 NÚCLEO DE ATENDIMENTO AO DIABÉTICO | NÚCLEO DE ATENDIMENTO AO OBESO